Nélida Piñon

Se a memória simula esquecer os mortos, o amor, albergado no coração e sempre à espreita, a qualquer sinal açoita quem sobrevive às lembranças.

Nélida Piñon

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: